Newman Schutze

A despeito de sua notória permeabilidade a juízos mais e menos absolutos de valor, a pintura segue, como sabemos, se afirmando como espinha dorsal no corpus das manifestações plásticas, resistindo tacitamente a clamores acerca de suas supostas muitas “mortes” e à ascensão de novas práticas e modalidades artísticas.

E é comprometida com o metiér da pintura que há mais de duas décadas se desenvolve a trajetória de Newman Schutze, desde sempre pontuada por uma abordagem centrada na exploração das diversas possibilidades expressivas desta linguagem. É no âmbito da prática pictórica como um potencial campo de experimentação – técnica, estilística e formal –, transitando livremente entre uma figuração que pode emergir carregada de simbolismos e incursões ao terreno de uma abstração de feições rebuscadas, que se constituiu a poética do artista.

Sua produção recente, contudo – notadamente de 2003 para cá – sinaliza para um movimento gradual de sensível depuração e despojamento em sua fatura: suas composições tornam-se mais enxutas, despidas dos elementos dramáticos e de recursos compositivos superlativos. A paleta cromática do artista parece ter igualmente acompanhado este movimento: suas telas passaram a ostentar uma predominância de tons escuros – ocres, marrons, cinzas, negros, abandonando o cromatismo intenso e luminoso que antes apresentavam. Os quadros ganham assim uma fisionomia mais austera e taciturna, quase silenciosa, evidenciando um raciocínio que passa a privilegiar esquemas compositivos a um só tempo mais básicos e ordenados e indicando um interesse pela exploração do suporte agora sob um enfoque que prioriza aspectos mais essenciais à práxis do artista. Essas características sugerem a instauração de um movimento de retração interna e espontânea no trabalho, afirmando, em suma, a necessidade de se buscar por um grau de simplicidade que rompesse com eventuais maneirismos e condicionamentos anteriores.

E é desta produção que se originam diretamente os conjuntos de desenhos que Newman ora apresenta, gestados em paralelo a sua prática pictórica e que, embora dotados de sensível autonomia em relação àquela, ilustram em boa medida este grau de simplificação atingido pelo artista em sua atividade primordial. Trata-se de desenhos a tinta, desdobramentos por assim dizer mais gráficos de seu trabalho em pintura, produto de ações breves e incisivas, “pinceladas inteiras” de gesto único, contínuo e decidido; e onde a cor, quando presente, se insinua de modo hesitante, como se incerta da função que lhe caberia desempenhar nos espaços que ocupa sobre a superfície do papel. Contrapõem-se, deste modo, pela fluidez e brevidade de execução neles entrevistos, ao ritmo mais pausado e ao tempo de maturação exigidos pela pintura.

Mas o interesse destes desenhos não se esgota nos procedimentos que explicitam sua realização: sua força talvez resida, antes, no índice de franca expressividade que deles transparece, paradoxalmente reiterado pelo caráter repetitivo das ações geradoras do conjunto, e que afinal são únicas. Não se trata de um exercício de gestualidade conduzido por pulsões líricas ou catárticas, mas de uma prática afirmativa; estes desenhos não estão a serviço da representação ou da transposição deliberada de, digamos, determinado conceito para o mundo da forma. Na verdade, não se mostram imbuídos de quaisquer ambições que não sejam a de se constituírem em índices de sua própria presentação, assinalando um processo de pensamento plástico pautado sobretudo pelo desejo de investigar aspectos internos a uma poética.

Essa produção parece se anunciar – especialmente quando observada à luz de um percurso marcado pela diversidade de procedimentos e soluções formais, como é o caso de Newman – como um interlúdio, um momento de suspensão no processo do artista; onde este se permite dar vazão a anseios além daqueles viabilizados por meio da atividade pictórica, embora mantendo um estreito diálogo com a mesma – até porque dela advindo.

Guy Amado

Novembro de 2005

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s