Jornada Ao Interior da Paisagem ou “The Loneliness of The Long-Distance Runner” [Projeto CEP – Túlio Pinto]

PROJETO CEP – TÚLIO PINTO Not that every place that is made is art, however; but to make art (which is also to think about it) is to make place. (Tacita Dean/Jeremy Millar, “Place”)   No preto-e-branco gráfico e cuidadoso da película, vemos o jovem correndo. Desloca-se – rapidamente, mas sem pressa – por entre […]

Leia Mais "Jornada Ao Interior da Paisagem ou “The Loneliness of The Long-Distance Runner” [Projeto CEP – Túlio Pinto]"

On Failure and Completion in Art: Revisiting “The Unknown Masterpiece” and “La Belle Noiseuse” [teaser]

AVANCA CINEMA 2014 * Guy Amado   This article deals with issues that rise from confronting Honoré de Balzac’s famous short story The Unknown Masterpiece [1831] and the movie La Belle Noiseuse, from Jacques Rivette [1991], being the latter a loose cinematographic adaptation of the literature piece. In Balzac’s narrative, a 17th-century painter named Frenhofer […]

Leia Mais "On Failure and Completion in Art: Revisiting “The Unknown Masterpiece” and “La Belle Noiseuse” [teaser]"

NENHUM LUGAR [Iara Freiberg]

Eu serei o seu espelho; não serei o seu reflexo, mas o seu engano. Jean Baudrillard   Por diversos anos a investigação plástica de Iara Freiberg vem se desenrolando sobre um escopo de interesses bem reduzido: seu assunto básico tem sido sobretudo as relações contidas no binômio arquitetura e percepção espacial, e suas possibilidades de […]

Leia Mais "NENHUM LUGAR [Iara Freiberg]"

UTOPIA: algumas [im]possibilidades

UTOPIA: algumas [im]possibilidades

Uma curadoria imaginária de Guy Amado [para o doutoramento na FBAUP]

 

Vamos a caminho: o comboio por entre as imagens imortais. A utopia, sabes? É imperfeito o mundo“. [Manuel Gusmão]

O que aqui se propõe é um exercício curatorial imaginário balizado pela noção de utopia – e onde se invoca também sua antítese, a distopia. De modelo idealizado de sociedade ou espécie de realidade harmoniosa e compensatória frente à realidade vigente a horizonte acabado de expectativas, a Utopia [o “Paraíso”?] segue alimentando e impulsionando a vontade humana. Por outro lado, sua contrafação, a distopia, parece ter ganho força no imaginário cultural a partir da segunda metade do século 20, com a falência de um projeto moderno – e em última análise, humanista.
Seria hoje a utopia um anseio inútil? Que relações de sentido a arte contemporânea pode estabelecer com a utopia? E por quais vieses?
Pretende-se que essas e outras questões sejam de algum modo trazidas à baila nesta proposta de “exposição fictícia”. A partir de um conjunto de obras de renomados artistas contemporâneos, articula-se a emergência da pulsão utópica [ou distópica] como leit-motiv, em registos e graus diversos de aspirações: ora em tônus crítico, ora terapêutico, ou ainda em chave metafísica. E freqüentemente enunciando sua própria impossibilidade: condição fulcral, como sabido, para sua [não]consumação. É nesse paradoxo que reside classicamente sua potência, e que de resto anima essa exposição sem obras.

Leia Mais "UTOPIA: algumas [im]possibilidades"

Sob o Signo do Fracasso: dos filmes de Buster Keaton e Bas Jan Ader [2013]

Sob o signo do fracasso: filmes de Buster Keaton e Bas Jan Ader Guy Amado [artigo produzido para o Simpósio/Festival AVANCA 2013]   Introdução Este artigo busca identificar pontos de contato entre o corpo da obra do artista visual Bas Jan Ader [1942-1975] e elementos da prática cinematográfica do ícone do cinema mudo Buster Keaton […]

Leia Mais "Sob o Signo do Fracasso: dos filmes de Buster Keaton e Bas Jan Ader [2013]"

Notas sobre a “Jovem Crítica” de arte [ou “Da ausência de atrito”]

[originalmente publicado na Numero 5 e em “Crítica de arte no Brasil: Temáticas Contemporâneas“, de Gloria Ferreira] Os anos 1990 testemunharam o ocaso progressivo e sistemático da atividade da crítica em artes plásticas em São Paulo e no Brasil. Um processo que não se consolidou de forma abrupta, apresentando indícios de esmorecimento já desde meados […]

Leia Mais "Notas sobre a “Jovem Crítica” de arte [ou “Da ausência de atrito”]"